News 15 - Faltam Líderes e Educação

Primeiro quero te pedir desculpas por não ter enviado a newsletter semana passada. Tive um problema técnico com o disparador de e-mails que não se resolveu até quarta. Então tomei a decisão de só enviar hoje, dia 06/07/2015. A boa notícia é que recebi mais de 450 e-mails “reclamando” sobre o não recebimento da newsletter.

Vamos em frente!!!

Outra boa notícia é que pude juntar os temas da semana passada com o dessa semana, o que deixou a News um pouco maior do que eu gostaria, mas os temas são de uma profunda importância. E os temas são Liderança e Educação. E um está completamente ligado ao outro. Vamos ver.

Começo com uma constatação: faltam líderes. E faltam líderes educadores.

O país está sem liderança em algumas esferas e somente as encontramos no mundo corporativo. Talvez essa seja a grande causa dessa “crise” econômica e política que estamos vivendo.

A outra constatação é mais grave: não estamos formando novos lideres. Nosso processo educacional é falho e explico procurando responder à seguinte pergunta – O que deveríamos fazer para educar nossas crianças e jovens para assumir suas posições no século 21?

Se olharmos o cenário sob o ponto de vista econômico e cultural, temos alguns desafios.

Do ponto de vista econômico e uma vez que é difícil antecipar que cenário teremos na próxima semana, surge um algo grau de incerteza e ambiguidade no ar. Nossos jovens não estão sendo preparados para lidar com essas incertezas. Pelo contrário, eles estão cada vez mais movidos pelo medo.

Do ponto de vista cultural temos o desafio de criar um senso de identidade cultural nesse mundo que chamamos de globalizado.

O desafio está no fato de que o atual sistema educacional acredita que é possível construir o futuro baseado no que foi feito no passado.

No passado, as escolas procuravam conduzir os jovens a um caminho seguro para obter um emprego. Nos dias atuais essa promessa não pode ser cumprida e uma saída para o emprego é o empreendedorismo. O paradoxo é que deveríamos estar elevando os padrões e requisitos da educação e os estamos baixando.

Talvez a origem disso esteja na concepção original dos sistemas públicos de educação, cujas circunstâncias eram muito diferente das de hoje, quando a educação era um privilégio dos mais abastados e, para populariza-la haveria a necessidade de financia-la pelos impostos pagos pela população.

E, nesse contexto, o modelo educacional seguiu a lógica industrial e reproduz a sua imagem.

Nas escolas os turnos e as aulas são informados por soar de campainhas; os assuntos são tratados de maneira fragmentada e não sistêmica; as turmas são separadas em lotes pela lógica da data de fabricação dos alunos (por idade). Isso gera produtos que chamamos “a turma de 2009”, “a turma de 2010”, etc.

E por que fazemos desse jeito? Isso é um processo conhecido como PADRONIZAÇÃO, que é o atual paradigma da educação.

Mas dado que o mundo hoje vive um lógica imprevisível, incerta e ambígua, o que fazer? O oposto!

O pensamento divergente, a visão sistêmica, o design thinking são recursos necessários para a criatividade, que é um processo de gerar ideias que tenham valor. Criar várias formas de reproduzir as questões, várias formas de interpreta-las, criar múltiplas respostas e não apenas uma. Saber criar opções para a solução dos resultados indesejados.

Lembre que no jardim de infância as crianças são livres para pensar de forma divergente, porém a medida que os anos passam isso vai sendo perdido (ou tomado) e as crianças começam a pensar (ou são induzidas a) de forma padronizada e são orientadas a não conversar com o colega, nem consultar informações nos momentos cruciais, pois isso é chamado de COLA. Fora das escolas isso se chama COLABORAÇÃO.

No passado os professores eram orientados a ensinar. Hoje eles devem ser orientados ajudar o aluno a aprender. Essa responsabilidade é do aluno e um líder precisa começar por aí: assumindo a responsabilidade.

Então vem a pergunta: por que faltam líderes? Porque para ser líder você tem que ser livre em seus pensamentos e o modelo educacional não favorece isso. Há que se criar um Modelo do Pensador para que possamos ter novos lideres que vão desenvolver o mundo para as próximas gerações assumindo a responsabilidade por esse caminho.

E como fazer com os atuais profissionais que já estão no mercado? Temos que ajuda-los a desaprender para aprender de novo. Esse é o nosso desafios dos dias atuais: atuar na transformação do mundo a partir da transformação dos indivíduos para assumir a responsabilidade por criar um mundo melhor.

Lideres fazem isso: assumem a responsabilidade integralmente sobre as coisas que lhes acontecem e não julgam seus críticos ou interlocutores, mas aprendem com eles.

E o momento que o país e o mundo vivem, ensejam a formação de novos líderes, pessoas capazes de atentar para os seguintes aspectos:

Focar no futuro: olhar para frente, utilizando o passado como fonte de recursos para o aprendizado;

Entrar em ação e aprender: obter novos significados das experiências que vive, das lições que aprende com suas ações e comportamentos de forma a mudar seu ponto de vista e se

Transformar: em alguém melhor, mais apto a desenvolver novos comportamentos para obter novos resultados;

E expandir sua consciência: abrir seus canais sensoriais e ampliar sua compreensão de si mesmo, dos outros, do mundo e de todas as coisas.

Esse é um momento perfeito para desenvolver esses elementos, pois a crise pode te aperfeiçoar uma vez que ela exige que você faça mais, faça melhor e saia melhor dela do que quando entrou.

Trabalhamos isso em nossos programas de desenvolvimento: Liderança, Estratégia e Gestão.

Aliás, se você tiver alguma dúvida ou pergunta sobre esses temas você pode me escrever no e-mail que você já sabe qual é.

Temos preparado lideres de todas as áreas no Master em Desenvolvimento Humano e Organizacional, nossa formação em coaching, mentoring & counseling com reconhecimento internacional.

Na semana passada estávamos em sala redesenhando o conceito de liderança de mis uma turma.

Se quiser saber mais sobre isso, participe da turma 24 do programa MASTER em Desenvolvimento Humano e Organizacional – uma formação de líderes com turmas de até 14 alunos. Ela ocorre em 05 à 07/08 (módulo I) e 19 à 21/08 (módulo II) em São Paulo. Caso se interesse, pode me escrever diretamente no meu email: lcbinato@instiad.com.br

Quero mais uma vez te agradecer por estar presente e me permitir compartilhar algumas ideias com você. A cada dia aumenta o interesse por esses temas que temos conversado e mais pessoas estão solicitando receber as News. Hoje, essas newsletters estão indo para mais de 80.000 pessoas.

Se você acha que um amigo pode se beneficiar, fale pra ele me enviar seu e-mail ou peça pra ele acessar www.instiad.com.br e cadastrar seu e-mail por lá.

Para falar comigo, você sabe, basta escrever para lcbinato@instiad.com.br

Que você seja vitorioso essa semana.

Obrigado pelo sua presença.

Caso você não queira receber esta Newsletter, envie uma mensagem para mim, lcbinato@instiad.com.br, com o assunto remover ou clique no link abaixo. Seu e-mail sairá da minha base imediatamente.

Te desejo uma mega segunda-feira, força sempre, boa jornada e vamos com tudo.

Luiz Cláudio Binato

Founder & CEO

News em Destaque
Todas as News
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
  • Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black LinkedIn Icon

© 2023 by INSTIAD Human & Business School