• Black Facebook Icon
  • Black Twitter Icon
  • Black LinkedIn Icon

© 2023 by INSTIAD Human & Business School

Please reload

Todas as News

News 38 - A Liderança Como Forma de Mudar o Mundo

March 15, 2016

1/10
Please reload

News em Destaque

News 3 - Escassez ou Abundância

March 30, 2015

A newsletter anterior que descreveu o meta modelo com o qual trabalho, o Modelo do Pensador.

 

Ele parte da premissa de que seus RESULTADOS são função dos seus COMPORTAMENTOS, que se originam de suas EMOÇÕES, que nascem de suas CRENÇAS, suportados por seus VALORES, PRINCÍPIOS e CHAMADO, alinhados por uma MISSÃO cujo resultado final é seu LEGADO.

Isso mobilizou muitas pessoas que me escreveram para saber mais e aprofundar no modelo.

Como você sabe, eu trabalho com desenvolvimento humano, educação executiva e estratégia organizacional. Converso com muitos executivos e profissionais, dou aula pra muitos deles e faço Coaching com pessoas que ocupam posições no C-Level.

 

E todos, rigorosamente todos, em algum momento delegam a responsabilidade do que lhes acontece a algo ou alguém.

 

E quero convidar a você refletir sobre isso.

Quantas pessoas você conhece que, neste momento de “crise” estão culpando os clientes, o governo, o dólar, o mercado ou qualquer outro elemento externo?

 

Conversando com o diretor de um dos maiores players de hardware do mundo, o cenário é esse: os clientes, as empresas tiraram o pé dos projetos que estavam em andamento e resolveram segurar os gastos com TI. Essa é a mensagem que as equipes de vendas estão trazendo pra dentro da companhia.

 

Fico me perguntando: dentro do Modelo do Pensador, qual a emoção que está por trás desses comportamentos? Resposta: o medo. Falei sobre isso na primeira newsletter.

 

O modelo de negócios do mundo é baseado no medo.

 

Uma forma que conheço que muda esse cenário é um principio com o qual trabalho denominado Assunção de Responsabilidade.

Isso enseja você assumir incondicionalmente a responsabilidade sobre todas, eu disse, todas as coisas que acontecem em sua vida.

Como usar esse princípio dentro do cenário que descrevi acima?

Vamos pensar sobre isso!

Imagine que sua equipe de vendas tem agido da forma como mencionei. Ao voltar pra companhia ela traz a informação de que os clientes não querem mais fazer o investimento. Isso afeta o faturamento e todos os demais resultados da empresa.

Como a maioria age nesse cenário?

Que ações serão vislumbradas?

A maioria dos lideres irá se perguntar: como eu saio dessa?

 

Se a ideia é entregar rentabilidade e as vendas caem, a visão predominante é a de reduzir custos. Um movimento baseado na crença da escassez.

A assunção de responsabilidade cria uma atmosfera na qual se é permitido explorar com a equipe de vendas as seguintes situações:

Estamos fazendo tudo o que devemos, podermos ou queremos fazer para oferecer o melhor negócio aos nossos clientes?

 

Estamos alertas acerca do negócio do nosso cliente para enxergar o que nossos produtos podem trazer resultados superiores para ele, o cliente?

 

O que não estamos fazendo, que se fizéssemos, estaríamos tendo um melhor resultado?

Como está operando o nosso modelo mental, nosso sistema de crenças? Ele está baseado na crença da escassez ou da abundância?

 

Esse exemplo é corporativo, mas serve para suas questões pessoais. Quantas pessoas você conhece que estão colocando a responsabilidade de suas vidas sobre as mãos de outras pessoas: maridos, esposas, chefes, filhos, etc.

 

Assumir a responsabilidade é encarar o fato de que toda a vez que alguém enfiar um punhal em suas costas, as suas digitais estarão lá. É estar na vibração de escolher as soluções e não focar no problema.

 

Toda vez que você assume a responsabilidade sobre algo, você muda seu repertório interno, sua fisiologia se prepara para isso e todo o sistema de adapta a nova realidade criada por seu modelo mental, baseado na abundância e na crença de que você tem a solução.

 

Para isso, estar ciente de seus valores, princípios e chamado ou propósito é preponderante para que a assunção de responsabilidade se aporte e se reconheça como um recurso interno seu.

Quando se tem um propósito, uma razão clara para dedicar a sua vida em nome de algo maior, a responsabilidade vem automaticamente como um recurso para o buscador.

 

O fugitivo culpa sempre alguém. Já o buscador assume a responsabilidade, pois sabe que seu destino é buscar o que definiu como meta e não fugir da situação que lhe gera dor.

Muitas pessoas me procuram para ajudar nessa busca. Tenho tido a sorte de apoiar muitas pessoas nessa busca, pois já fiz a minha e continuo alerta para manter a consciência nos dias de grande turbulências nos quais temos vivido.

 

Ainda que haja muitas coisas acontecendo no cenário das circunstâncias, foi, ainda é e sempre será você o responsável pelas decisões que tomar, ainda que não reconheça isso.

Esse é um dos principais temas que abordo no Master em Coachig, com Mentoring e Counseling na formação de Desenvolvedores Humanos e Organizacionais que ministramos no INSTIAD e nas palestras sobre o Modelo do Pensador que temos feito nas empresas e em eventos.

 

Os resultados que você persegue são seus. Não são da empresa, da área de vendas, dos seus filhos. Mas seus. Assumir a responsabilidade é vital para manter seu sistema calibrado para lidar com isso.

 

Convid a conhecer o site do INSTIAD, www.instiad.com e ver de perto como temos ajudado indivíduos, equipes e organizações a mudar o presente, ressignificando o passado e construindo o futuro.

 

Força sempre, boa jornada e vamos com tudo.

 

Luiz Cláudio Binato

Founder & CEO

INSTIAD

 

 

Please reload

Siga

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Procurar por tags